As viagens das “Mulheres Ricas”

Logo no primeiro episódio de Mulheres Ricas, o reality show da Band que desde o início do ano vem agitando a imprensa e as redes sociais, a deslumbrada e pra lá de deselegante Valdirene Marchiori tentou comprar jatinho novo, de alguns milhões. Objetivo: poder viajar para Paris sem escalas e a hora que quisesse. De São Paulo, onde mora,  ligou para Narcisa Tamborindeguy, socialite e escritora da Cidade Maravilhosa, dizendo que agora as duas poderiam ir para a capital francesa e comprar muito na Chanel. A transloucada e hilária carioca aceitou o convite, mas com uma ressalva: que a nova amiga pagasse todas suas contas.

Nesses primeiros minutos de programa, as diferenças entre ter, querer ter e fazer ou não fazer questão de ostentar riqueza ficaram imediatamente marcadas, a partir de um imaginário sobre destinos e práticas de viagem. Val (como prefere ser chamada Valdirene) e Narcisa (que já assinou com z, mas voltou para o s) são os opostos de Mulheres Ricas, artifício que é cuidadosamente construído pelo roteiro e pela edição do reality: para a primeira, ir a Paris e comprar sem que haja amanhã é coisa de rico e ação a ser divulgada ao vento; para a segunda, pode ser que não tenha mais importância, ou o dinheiro de outrora tenha acabado. Mas o fato concreto é que nenhuma das duas viajou para Paris, ao menos frente às câmeras do programa de televisão.


No episódio exibido agora à noite, viu-se as duas passeando por Buenos Aires – um downsizing na riqueza e ostentação, convenhamos. Acompanhadas de Brunete Fraccaroli, a arquiteta que adora se vestir e parecer uma barbie da terceira idade, não gosta de azul-turquesa mas acha chique papel de parede imitando pele de crocodilo, fizeram compras em shopping (viajar para ir a shopping é o fim!), passearam em Porto Madero (para elas um lugar elegante com cara de Londres; para mim, definitivamente lugar que jamais pisarei, mas eu sou mal-humorado) e foram ao cafonérrimo Caminito, no bairro La Boca, que já foi assunto de um texto por aqui. Lá, tiraram fotos naqueles painéis pintados onde se põe a cabeça num buraco e caminharam entre as barracas da feirinha. Narcisa se divertiu, Brunete achou parecido com Montmartre – oi? – e Val, que mais cedo passeara de limusine, reclamou de tudo (taí: em alguma coisa eu e Val concordamos – o Caminito é o erro!).

Val em episódios anteriores, aliás, foi a que mais viajou. Primeiro foi no seu antigo avião (ela não comprou aquele que ia direto a Paris, tá?), acompanhada de Brunete, para Angra dos Reis – segundo ela lugar de gente rica, já que pobre não consegue chegar porque só dá pra ir de avião (mal sabe que dá, sim, para qualquer um ir para Angra de ônibus, aqueles bem movimentados onde adultos, crianças, animais e bagagens se misturam). A dupla de loiras não fez nada de muito glamuroso, só comeram e beberam: foram a um restaurante “que só se chega de lancha”, adornando-se com flores no cabelo à la Iris Stefanelli (super chique, só que ao contrário) e, em sua casa (que é uma versão terracota de um sítio do pica-pau amarelo – high design, só que não), comeram risoto feito pela própria Brunete, beberam champanhe compulsivamente e dançaram até o chão, como se num baile funk.  Lá em Rio das Pedras é quase igual e mais divertido…

Em outro episódio, Val foi ao Rio visitar Narcisa, que a levou numa festa para dançar, discotecar e beber (De novo? Rico só bebe mesmo quando viaja?) e, mais cedo, para um voo de helicóptero em que mostrou praias e favelas. O passeio que com certeza muitos turistas gostariam de fazer terminou com um… “badalo”! O nome inventado por Narcisa designa prática, perigosa, que se resume a deixar o veículo em queda livre por alguns segundos – puro turismo de aventura! – para desespero de uma Valdirene que perdeu toda a elegância ao gritar, espernear e humilhar piloto e copiloto à bordo, não havendo dinheiro que a faça a recuperar…

Outro dia, Lydia Sayeg, outra participante que é joalheira e psicótica em relação à segurança pessoal – apesar de praticar aulas de tiro para relaxar e apontar armas para uma vendedora –, ganhou de presente do marido flores acompanhadas de uma carta de amor e um voucher para viagem ao Atacama. “Voucher? Atacama? Isso é meio pobre, hein?”, me disse uma amiga. Já Débora Rodrigues, a ex-sem-terra que pousou nua para revista e hoje é piloto de formula truck, foi para Buenos Aires – mas para trabalhar – e até agora não se viu uma viagem sua a passeio no programa, para lugar algum. Parece que seu maridão tem ciúme que ela saia por aí sozinha.

Sei não… Acho que se ser rico é maravilhoso, como diz Sayeg, pelas viagens dessas mulheres ricas essa condição me causaria mau humor. Ou ao menos um tédio profundo.

Anúncios

Sobre Leo Name

Professor do Departamento de Geografia da PUC-Rio.

  1. Daniel Brum

    Concordo, até agora tá uma pobreza só. Me avise qndo elas desembarcarem em Paris.

  2. Concordo Datilo, mas há que se admitir: por mais que eu seja #teamnarcisa, o programa sem Val não existiria.

  3. Alexandre Datilo

    Hahahaha!!! Muito divertido este post. Realmente queria ver elas “pagando de gatinhas” em Doha ou Abu-Dabi ao lado das verdadeiras mulheres ricas.
    Buenos Aires é ótimo, mas o lugar de rico lá, chama-se El Tígre (novo rico – uma espécie de Alphaville) ou na Recoletta (old money) e não tomar champagne às 09:00 da manhã e andar de botas Chanel no Caminito. É fácil ser turista rica mostrando contrates.
    O programa Mulheres Ricas é excelente para os pobres de espírito deslumbrados (metidos a classe média alta) verem o quão ridículo são pessoas de puro carão, como a Valdirene do Frango. Uma pessoa que, apesar do atual dinheiro, por dentro, quer renegar a si mesma que sua orígem pertence à periferia daquela cidadezinha do Paraná.
    Em sua cabeça, lingüiça e caipirinha são coisas de pobre. Como disse o Maurício Stycer a ignorância da Val é compatível como o seu cartão de crédito. Sem limites. Hello…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: